sexta-feira, novembro 11, 2005

Caso Joana: mãe e tio da criança condenados


Chegou hoje ao fim o julgamento do Caso Joana, com o Tribunal de Portimão a condenar a mãe e o tio da criança a 20 e 19 anos de prisão, respectivamente.
O início deste caso remonta a Setembro de 2004 quando, Joana, uma criança de 8 anos residente em Figueira, Portimão foi dada como desaparecida. O comportamento estanho da mãe durante declarações prestadas no programa SIC 10 Horas, levantou as suspeitas da Polícia Judiciária quanto ao possível envolvimento de Leonor Cipriano no desaparecimento da filha. Na sequência das investigações levadas a cabo a mãe e o tio da menina acabaram por ser detidos preventivamente, acusados dos crimes de homicídio, profanação e ocultação de cadáver.
No final do julgamento, o colectivo, composto por três juízes e quatro jurados, acabou por considerar os arguidos culpados dos crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Com base em provas apresentadas pela Polícia, o tribunal considerou que, embora não possa ser provado que João e Leonor Cipriano tivessem intenção de matar a criança, ambos os arguidos estavam conscientes dos seus actos quando agrediram Joana. O tribunal deu ainda como provado o esquartejamento do corpo da menina em três partes.
Os advogados de defesa João Grade e Sara Rosado, que durante as alegações finais pediram a absolvição dos arguidos, já anunciaram que irão recorrer da sentença.

Fontes: SIC Online

3 Comments:

At 8:35 da tarde, Anonymous C.A said...

Marta:
Em primeiro lugar os meus parabéns pela noticia do caso Joana. Está muito bem redigida e dá-nos a conhecer todas as informações necessárias para ficarmos a conhecer o desfecho do caso.
Espero que continuem a actualizar o blog e a escrever tão bem como o fazem. Parabéns a todas!

 
At 8:53 da tarde, Anonymous Mikie said...

Este caso chocou sem dúvida alguma a grande maioria dos portugueses se não mesmo todos!
Como pode uma mãe matar a própria filha? Fazer o papel de "coitadinha" nos órgão de comunicação social e perante a familia? São perguntas que todos gostariamos de ver explicadas. Mas quem o pode fazer? Será que a mâe e o tio de Joana o poderam fazer? Creio que não.
Existem famílias que passam anos em processos de adopção e não conseguem ter um "filho adoptivo" a anda uma senhora, de nome Leonor Cipriano a "matar" a própria filha!
Gostava de terminar este meu comentário dando os meus sinceros parabéns à autora de noticia.

 
At 8:54 da tarde, Anonymous F.S. said...

Marta,
Gostaria de salientar a excelente forma de redacção da noticia. O corpo do notícia está bastante fluído e encontra-se muito bem estruturado. Conseguimos extrair bastante informação acerca do caso Joana. Muitos parabéns e continuem a actualizar o blog.

 

Enviar um comentário

<< Home