quarta-feira, março 29, 2006

Jardim não quer comemorar o 25 de Abril



O grupo parlamentar, PSD Madeira não quer comemorar este ano o 25 de Abril, alegando «não ser oportuno». O requerimento já foi apresentado por Jaime Ramos, líder da bancada PSD Madeira, dirigido ao presidente do parlamento madeirense.
A oposição lamenta e rejeita a ideia laranja, lembrando que a democracia se deve ao movimento do 25 de Abril de 1974.
Mas a maioria absoluta de Jardim decidirá o que fazer. Certo é, que o grupo parlamentar pondera nunca mais retomar as comemorações, justificando que as mesmas «devem ser da responsabilidade da Assembleia da República».
Alberto João Jardim apoia a intenção, já que por diversas ocasiões criticou a secção parlamentar de comemoração da Revolução dos Cravos, alegando ainda, que as intervenções da oposição não tinham qualidade.
Recorde-se que no ano passado a secção comemorativa ficou marcada pelo incidente protagonizado pelo vice-presidente do grupo parlamentar do PSD Madeira, Coito Pita, que atirou para o chão um cravo deixado no púlpito do parlamento por um deputado Socialista que tinha usado a palavra antes dele.
Fontes:

1 Comments:

At 9:30 da manhã, Anonymous Romeu said...

O facto de o grupo parlamentar PSD da região da Madeira não querer comemorar este ano o 25 de Abril é já uma posição esperada há algum tempo, para a qual tenha contribuído alguns conflitos entre alguns representantes da bancada laranja e a oposição, chegando mesmo a existir insultos e ameaças físicas como aconteceu na Assembleia Legislativa madeirense.
No meu ponto de vista, a posição tomada pelos líderes sociais-democráticos madeirenses é uma barreira à democracia, já que, o facto de estes deputados não concordarem com algumas posições do continente não justifica esta decisão.
Aproveito também para recordar que a primeira iniciativa de comemorar o 25 de Abril partiu do PPD no ano de 1977, num texto assinado por Alberto João Jardim, então líder do grupo parlamentar.
É também importante referir que a apesar de a Madeira ser uma região autónoma, é uma parte do território nacional e consequentemente da mesma pátria portuguesa, e o dia 25 de Abril é sem duvida um dia bastante importante para todos nos portugueses e que consistiu num dia importante para a liberdade e democracia.
Quero também aproveitar para congratular a Márcia quer pela elaboração deste argumento quer pela escolha do tema, já que o facto de estarmos próximos de um dia em que os cravos tem um significado diferente para todos nós, seja também uma recordação de tempos difíceis em que a conquista da liberdade era uma meta bastante difícil de alcançar mas não impossível.

Romeu

 

Enviar um comentário

<< Home