sexta-feira, março 03, 2006

Luz verde para a co-incineração

O ministro do ambiente, Francisco Nunes Correia, anunciou hoje, durante a apresentação do relatório da Comissão Científica Independente (CCI), no Porto, que a co-incineração de resíduos industriais vai ser realizada nas cimenteiras de Souselas e Outão, na Arrábida.

De acordo com o relatório apresentado pela CCI as cimenteiras portuguesas praticam as melhores tecnologias disponíveis, não havendo por isso nenhum entrave para obterem autorização para queimar lixo industrial.

O relatório refere-se ainda à expansão, nos últimos anos, das práticas de incineração e co-incineração motivada por factores como o custo da energia petrolífera, a entrada em vigor da Protocolo de Quioto e estudos que revelam uma carácter mais amigável da co-incineração.

O ministro reforçou estas ideias no decorrer da conferência de imprensa, declarando aos diversos órgãos de comunicação social, que a co-incineração “é uma prática realizada em cerca de 60 cimenteiras na Europa dos 15" e que as actuais técnicas são “absolutamente seguras”.

Entretanto, o Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV), já anunciou que pretende apresentar queixa à Comissão Europeia, mostrando preocupação quanto ao facto de virem a ser queimados resíduos industriais perigosos (RIP) na Arrábida.
A deputada do PEV, Heloísa Apolónia, pediu um “debate de urgência” para discutir a questão da co-incineração.

Estima-se que em Portugal seja produzidas anualmente cerca de 250 mil toneladas de RIP.


Fontes: Diário Digital
Público

2 Comments:

At 6:04 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Estou totalmente de acordo com a co-incineração em Portugal.Temos, realmente, que seguir o exemplo dos outros países europeus e queimar o nosso lixo industrial.
A noticia está muito bem elaborada, trata-se, portanto, de uma "noticia verde".

 
At 6:04 da tarde, Anonymous Brian said...

Realmente não fazia ideia que se produzia tantos RIP (agradeço à autora a descodificação da sigla :)) e tudo leva a crer que a eliminação destes continuará ainda por muito tempo envolta em polémica devido à escolha do local apropriado. Penso que esta notícia alerta para um debate urgente de um problema de todos nós que amamos o nosso país. Parabéns.

 

Enviar um comentário

<< Home