segunda-feira, abril 03, 2006

Governo aprova novo exame para identificar condutores sobre o efeito de drogas


O controlo de substâncias psicotrópicas em condutores, feito anteriormente através de um exame médico, é agora substituído por um teste rápido a realizar numa amostra de urina, saliva ou suor.
Caso o teste seja positivo, o individuo é sujeito a um exame de confirmação em amostra de sangue.
A proposta de lei num conjunto de dez diplomas aprovados em Conselho de Ministros, intrega-se no âmbito da regulamentação do código da estrada, aprovado no ano passado e que visa uma redução de 50 por cento, até 2009, do número de acidentes com vitimas mortais.
Foram ainda, aprovados dois decretos com o objectivo de organizar o registo individual do condutor, (onde cada infracção punida com inibição de condução em territorio nacional, passa a ser sujeita a registo, por um período de cinco anos) e a criação do registo de infracções dos não condutores.
A proposta de lei, que será submetida à Assembleia da República, sobre o novo regulamento de fiscalização da condução sob influência do álcool ou de substâncias psicotrópicas, tem o objectivo de "estabelecer os metódos a utilizar na fiscalização sob efeito do álcool ou de substâncias psicotrópicas" como refere o diploma.
Fontes:

1 Comments:

At 10:23 da manhã, Anonymous Romeu said...

O facto de o nosso país ter uma das taxas mais altas de sinistralidade nas estradas da União Europeia, leva-nos a tomar medidas mais cautelosas no que concerne à segurança na estrada, principalmente no que concerne aos condutores sobre o efeito de álcool e de drogas, já que estes são os principais factores do elevado numero de acidentes nas nossas estradas. O que leva a que este novo método de análise do estado do condutor, seja recebido no meu ponto de vista com bom agrado, de modo a que se permita alcançar a tão esperada redução do número de acidentes.
Aproveito também para relembrar as entidades do sector vitivinícola português, que é necessário criar campanhas com o objectivo de informar os consumidores de vinho, que o significado de quantidade não é sinónimo de qualidade. Visto que o estado admite diminuir consideravelmente a taxa de álcool no sangue permitida para a condução no final deste ano, caso o sector vitivinícola português não tome a iniciativa de lançar uma campanha para tentar travar o número de mortos na estrada. Assim, torna-se importante elaborar uma estratégia que permita reduzir a taxa de álcool no sangue nos condutores e em simultâneo que não exista uma quebra acentuada no sector dos vinhos portugueses, já que é uma área muito importante na nossa economia.
Para terminar, quero felicitar a Márcia pela elaboração deste artigo bastante relevante para todos nós, quer sejam condutores ou não-condutores.
E, aproveito também para lhe endereçar um beijo muito especial.

Romeu

 

Enviar um comentário

<< Home